A DÁDIVA DE (SE) DOAR …

 

 

sgcor

Todo homem que te procura vai pedir-te alguma coisa;
o rico aborrecido, a amenidade da tua conversa;
o pobre, o teu dinheiro;
o triste, um consolo;
o débil, um estímulo;
o que luta, uma ajuda moral.
Todo homem que te busca,
certamente há de pedir-te alguma coisa.
E ousas impacientar-te!

Infeliz!
A lei oculta,
que reparte misteriosamente as excelências,
dignou-se outorgar-te o privilégio dos privilégios,
o bem dos bens,
a prerrogativa das prerrogativas:
dar: Tu podes dar!

Deverias cair de joelhos e dizer:
Graças, meu Deus, porque posso dar!
Nunca mais passará por meu semblante uma sombra de impaciência.

(Amaldo Nervo)

 

Leia também