A PARÁBOLA DO RIACHO QUE TEMIA O PÂNTANO

 

 

pantano

Era uma vez um riacho de águas cristalinas, muito bonito, que serpenteava entre as montanhas. Em certo ponto de seu percurso, notou que à sua frente havia um pântano imundo, por onde deveria passar. Olhou, então, para Deus e protestou:

– “Senhor, que castigo! Eu sou um riacho tão límpido, tão formoso, e você me obriga a atravessar um pântano sujo como esse! Como faço agora?”

Deus respondeu:

– “Isso depende da sua maneira de encarar o pântano. Se ficar com medo, você vai diminuir o ritmo de seu curso, dará voltas e, inevitavelmente, acabara misturando suas águas, o que o tornará igual ao pântano. Mas, se você o enfrentar com velocidade, com força, com decisão, suas águas se espalharão sobre ele, a umidade as transformara em gotas que formarão nuvens, e o vento levara essas nuvens em direção ao oceano. Ai você se transformará em mar”.

Assim é a vida. Quando as pessoas ficam assustadas, paralisadas, pesadas, tornam-se tensas e perdem a forca. É preciso entrar pra valer nos projetos da vida, até que os rios se transformem em mar. Se uma pessoa passar a vida toda evitando sofrimento, também acabará evitando o prazer que a vida oferece.

Há milhares de tesouros guardados em lugares onde precisamos ir para descobri-los. Há tesouros guardados numa praia deserta, numa noite estrelada, numa viagem inesperada… O importante é ir ao encontro deles, ainda que isso exija uma boa dose de coragem e desprendimento.

Não procure o sofrimento. Mas, se ele fizer parte da conquista, enfrente-o e supere-o .

Leia também