A PARÁBOLA DO VALENTE ADORMECIDO

lutador

Havia uma aldeia que possuía entre seus habitantes um guerreiro. Um combatente que treinava todos os dias, buscava as melhores armas e estava pronto para defender sua aldeia do ataque inimigo. Como já fizera algumas vezes com sucesso.

O tempo foi passando e, acostumado à paz e sossego entre seus familiares e amigos o valente parou de treinar. E admirando o estilo de vida de seus familiares e amigos um dia quis ser como eles. Deixou as armas de lado e passou a agir igual a todo mundo sem preocupar-se em defender a aldeia. E isto com o apoio da comunidade:

“Venha divertir-se um pouco conosco” “Que mal que tem?”

Passaram-se mais alguns dias… O inimigo vigiava de longe e foi se aproximando. Sabiam de tudo.

O Mal organizou-se e foi cavalgando até a aldeia para espalhar a morte e o terror.

Queriam sangue, destruição, queriam matar, saquear e destruir a aldeia e os familiares e amigos do valente.

Anoiteceu.

Chegaram sem que ninguém houvesse percebido, quando todos festejavam, e foram pegos de surpresa. A carnificina começara… Alguém lembrou do único combatente e defensor da aldeia e foram correndo chamá-lo. Ao localizarem sua tenda encontraram-no dormindo após a orgia e bebedeira. Ao acordá-lo lhe disseram:

– O inimigo nos encontrou! Pelo amor de Deus! Proteja-nos!

– Você treinou a vida inteira para isso! Onde estão suas armas?

– Eles são muitos, mas você já os derrotou no passado e pode derrotá-los agora não é mesmo?????

– Rápido !!! Por ali !!!

Ainda anestesiado pela festa, mas consciente do que estava havendo, ouvindo gritos e vendo as labaredas de fogo saindo da boca do Mal, teve medo.

Ainda assim, tentou lutar, mas não estava preparado. Já esquecera como se combatia este inimigo. Já esquecera os golpes e já havia há muito abandonado suas armas…

Amanheceu…

A aldeia fora dizimada e o valente derrotado e humilhado.

Seu corpo tornou-se peça de zombaria por parte do exército inimigo… que se instalou no local, tomando posse da terra e dos pertences da comunidade.

“Sede sóbrios, vigiai. O vosso adversário, o Diabo, anda em derredor, rugindo como leão, e procurando a quem possa tragar” (IPe 5:8).

“Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na FORÇA do seu PODER. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo; pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes. Portanto tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, permanecer firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça, e calçando os pés com a preparação do evangelho da paz, tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda a oração e súplica orando em todo tempo no Espírito e, para o mesmo fim, vigiando com toda a perseverança e súplica, orando por todos os santos (Ef 6:10-18). Quem comete pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo” (IJo 3:8).

Leia também