ATENÇÃO: FINALMENTE A CIÊNCIA PROVA – “PAPAI-NOEL NÃO EXISTE”

ppnoel

Será que papai-noel existe?

Esta pergunta tem nos acompanhado e incomodado durante anos. Especialmente aos mais adultos, que, ano após ano defendem a tradição, tentando fazer as crianças acreditarem no velhinho gorducho, quando, via de regra, a maioria delas só fingem crer nisto para não perderem o presente tão sonhado durante o ano todo.

Depois de muita investigação, que envolveu renomados homens do meio acadêmico, finalmente a ciência nos oferece a resposta. É provável que as conclusões choquem alguns, mas os fatos e argumentos são inquestionáveis.

Você tem coragem de conhecê-los? Caso sua resposta seja afirmativa, siga em frente na leitura deste “quase tratado” de pura ciência.

Eis, os fatos: (como a pesquisa vem de longa data, alguns números já estão ultrapassados, mas não comprometem em nada os resultados finais. Pelo contrário, apenas reafirmam as descobertas,)

1. Existem cerca de 2 bilhões de crianças (isto é, pessoas com idade entre 0 e 18 anos) no mundo. PORÉM, visto que Papai Noel não é reconhecido entre as crianças muçulmanas, hindus, judias e budistas (para não falar de um sem-número de outras religiões não cristas), temos nosso universo reduzido para 15% deste total, isto é, 378 milhões de pessoas, segundo o US Population Reference Bureau.

2. Supondo que há uma media de 3,5 crianças por lar (segundo dados do censo), nós temos 91,8 milhões de lares. Podemos supor, sem medo de errar, que pelo menos uma criança por lar acredita em papai noel.

3. Devido aos diferentes fusos horários e à rotação da terra, Papai Noel tem 31 horas, no dia de natal, para executar seu trabalho, supondo que ele viaja de leste para oeste (o que seria mais lógico) Isto nos dá 822,6 visitas por segundo. Resumindo, para os que não conseguiram acompanhar nosso raciocínio, para cada lar cristão, com uma criança que crê em Papai Noel, ele tem aproximadamente 1/1000 segundos para: estacionar, pular a cerca ou o muro, escalar a casa, descer pela chaminé (quando for o caso), encher as meias das crianças, eventualmente comer alguma coisinha, depois subir pela chaminé (pressupondo que ele a utilizou para entrar) pegar o seu trenó e partir para a casa seguinte.

4. Supondo, para simplificar, que os 91,8 milhões de lares são uniformemente divididos no globo (isto não corresponde a verdade, mas o cálculo exato levaria a horas de simulação) isto nos dá 1,25 quilômetros por lar a visitar, totalizando uma viagem de 120 milhões de quilômetros. Isto quer dizer que o trenó de papai noel se desloca a uma velocidade de mais de 1.000 quilômetros por segundo, ou seja, 3.000 vezes a velocidade do som. A titulo de comparação, o veiculo mais rápido jamais construído pelo homem, a sonda espacial Ulisses, tem uma velocidade de míseros 44 quilômetros por segundo. Vale sempre lembrar que uma rena normal consegue alcançar a velocidade de 25 quilômetros POR HORA!.

5. A carga do Trenó pode fornecer também pistas importantes à nossa investigação. Supondo que cada criança ganhará uma caixa media de LEGO (marca registrada), o peso útil da carga do trenó seria de 321.300 toneladas!. Isto sem contar o próprio Papai Noel, invariavelmente descrito como obeso. Uma rena normal (que no mundo real não voa) pode puxar mais ou menos 150 quilos. Mesmo supondo que uma “rena voadora” possa puxar DEZ VEZES esta carga, papai noel não poderia se contentar com apenas 8 ou 9 renas voadoras: seriam necessárias 214.200 renas voadoras. Com isto aumentamos a carga, sem contar o peso do trenó, para 353.430 toneladas. Mais uma vez, a titulo de comparação, este numero representa 4 vezes o peso do navio Queen Elizabeth.

6. Continuemos: 353.000 toneladas viajando a mais de 1.000 quilômetros por segundo implica numa enorme resistência do ar – isto queimaria as renas voadoras da mesma maneira que queima um foguete quando da reentrada na atmosfera. Deste modo as duas renas da frente deveriam absorver uma energia de 14,3 quintilhoes de joules, por segundo, cada uma. Logo elas se evaporariam em chamas, quase que instantaneamente. As renas seguintes teriam o mesmo destino. Isto tudo provocaria um ruído supersônico ensurdecedor.

7. O desaparecimento total de todas as renas levaria apenas 4,26 milésimos de segundo. Durante este tempo, Papai Noel, o “Bom Velhinho”, seria submetido a uma forca centrifuga de 17.500,06 G. Isto quer dizer que um Papai Noel de 125 quilos (obeso) seria colado ao fundo de seu trenó por uma forca equivalente de 2.157.507 quilos.

CONCLUSAO:

Papai Noel não existe, e se um dia tivesse existido, teria virado carvãozinho.

Leia também