CONVITE DO PAI AO FILHO PRÓDIGO

 filhoprodigo

Amado filho,

“Você, pouco a pouco, foi ficando com o coração vazio e hoje se encontra longe da minha Casa. Eu percebia isso mas nada podia falar porque seus ouvidos já estavam longe demais para me escutar. Foi muito triste para mim a sua partida, porque eu o amava. Assim, comecei a interceder por sua volta.

Sabe por que hoje você anda triste? É porque perdeu a presença do meu Espírito quando seu coração foi se fechando por uma mágoa, uma crítica, um desprezo, um mal entendido, uma humilhação e até mesmo, quem sabe, por um pecado escondido.

Eu não me agrado que fique remoendo aquelas velhas mágoas e lembranças ruins. Quero perdoá-lo, mas enquanto não se esforçar em perdoar de todo coração as ofensas daquelas pessoas, meu perdão não poderá alcançá-lo. Qualquer um pode cair, mas só quem perdoa não fica no chão. Você ainda pode perdoar? Ainda tem coragem para perdoar hoje mesmo?

Você sabia que mágoas são como correntes malignas? Primeiro elas afastam da Igreja, da família, da comunhão, entristecem o Espírito Santo. Depois elas abrem a porta para deixar ir embora a paz, a saúde, as bênçãos… Peça-me forças, que eu vou lhe conceder graça para quebrar essas correntes.

Perdoe! Volte! Liberte-se! Haja o que houver: escolha sua melhor roupa, seu melhor sapato, tome sua bíblia e o velho hinário, separe a sua oferta de gratidão e venha ao culto na minha Casa. Resista ao diabo porque assim ele vai fugir de perto de você.

Tudo que o diabo roubou, tudo o que ele destruíu, você pode ter de volta: o perdão, a paz, a alegria, a presença do meu Espírito, a família e a comunhão com a Igreja. Volte porque seu lugar ainda está vazio e o amor que tenho você ainda é o mesmo.”

Do seu maior amigo,

 

Jesus.

 

 

(Adaptação de João Cruzué.

Carta escrita por Joanyr de Oliveira

publicada na revista “Seara” nos anos 70.)

Leia também