CRENTE CHUCHU

 

 

chuchu

Você já ouviu falar a respeito do crente chuchu? Não? Ah! Mas são muitos. Quem sabe você está sentado ao lado de um… Mas não vá cometer a bobagem de perguntar se é ele, tá? E se for você o tal? Já imaginou a sua reação se alguém chegar e disser: “diz aí, crente chuchu!” Eu não acredito que haja alguém com tamanha cara-de-pau, (se bem que tem gente pra tudo), mas que às vezes dá uma vontade…

Bom, vamos definir o crente chuchu. Você já conhece essa linguagem, não é? Exemplo: O crente cebola, é aquele que faz a gente chorar; o crente calhambeque, só vai no empurrão; crente macaco, vive de galho em galho; o crente celular, vive chiando ou fora de área, etc. Pois bem, o crente chuchu, é aquele que assimila o sabor alheio; que não influencia em nada o gosto da comida; que não tem personalidade no universo culinário.

É como se diz no popular: “nem cheira, nem fede”. Nesse aspecto, temos muitos dentro de igrejas que se encaixam nessa definição. Gente sem luz própria, sem qualquer influência, sem ministério, sem servir ao corpo. São aqueles de Apocalipse 3:15 e 16, que não são nem frios nem quentes, mas mornos, e que causam náuseas no Senhor. São aqueles que, por não terem sua própria experiência com Deus, vivem da experiência dos outros, do que os outros lêem, meditam e descobrem na Palavra de Deus. Andam sempre inseguros, inconstantes, frágeis, por não terem raiz própria.

É como o chuchu mesmo, que precisa sempre de uma cerca para se segurar. Pessoas que não sabem o que querem; não param em igreja alguma, vivem trocando de pastor, de irmãos, de doutrina; nunca estão contentes com nada, vivem em busca de aventuras espirituais; estão sempre abertas a tudo, não selecionam nada, ouvem qualquer profecia, lêem qualquer livro, escutam qualquer música, enfim, vivem numa salada existencial e espiritual, sem qualquer firmeza ou definição para a sua vida.

O crente chuchu é facilmente influenciado por falsos ensinos, ou comportamentos estranhos de outros legumes dessa salada, como o crente jiló, por exemplo, amargo…!

Querido, não seja crente chuchu, mas seja você mesmo. Você tem uma identidade espiritual, uma função definida, prática e abençoadora no corpo de Cristo e na sua igreja local. Mostre a sua cara, seus talentos, o que você recebeu de Deus para abençoar o seu povo. Envolva-se, participe, contribua.

Também vença a tentação de seguir os modismos, pois eles passam. Firme os pés na Palavra de Deus, abra os olhos e veja bem por quem você está sendo instruído, assimile o que vem de Deus, mas deixe vir à tona do seu jeito, com as suas características. Seja autêntico e firme, e que Deus te abençoe.

(Itamar Bezerra)

Leia também