E POR FALAR EM REFORMA…

 

 

Materiais

No “canteiro de obras” da igreja encontram-se alguns materiais interessantes:

Cristão prego-sem-cabeça: edifica, mas não aparece.
Cristão furadeira: só dá furo e ainda faz muito barulho.
Cristão metro-de-bambu: útil em áreas de tensão.
Cristão martelo: pregador por vocação, mas faz estrago quando erra na introdução.
Cristão martelo-de-borracha: agride, mas não machuca.
Cristão grifo: aperta, mas não amarra nada.
Cristão prumo: é bem certinho, mas se pegar no pé de alguém…
Cristão bucha: segura as pontas, mas abre o bico.
Cristão lixa: áspero, mas acaba com as farpas maldosas.
Cristão arame farpado: se você bobear ele puxa teu pé.
Cristão peroba: pau pra toda obra.
Cristão trena: vive medindo o outro.
Cristão serrote: adora uma divisão.
Cristão andaime: dá apoio, mas é um perigo.
Cristão prego de aço: não se dobra facilmente, apesar das porradas do pregador.
Cristão corrente: amarra o pastor.
Cristão textura: dá jeito em fachadas.
Cristão betoneira: não deixa a massa parar.
Cristão guindaste: se orgulha de levar as cargas.
Cristão cano: vive escondido, mas quando deixa vazar algo dá um problema…
Cristão válvula-hidra: limpa a sujeira, mas não apaga a lembrança.
Cristão tijolo-baiano: todos acham feio, mas são os mais usados.
Cristão caçamba: é paradão, mas muito útil.
Cristão chave-de-fenda: penetra nas brechas.
Cristão cal virgem: dá um ar de limpeza, mas não resiste muito.
Cristão pá-de-pedreiro: gosta de alisar as massas… Mas também a joga.

O impressionante, porém, é que o grande “Mestre de Obras” opera com cada um e em todos. Independentemente de suas fraquezas ou virtudes.

“Um obreiro está adaptado para um tipo de trabalho e outro para outro. Todos devem prosseguir juntos, fazendo a obra avançar harmoniosamente. Paulo plantou, Apolo regou, mas Deus deu o crescimento. O Senhor usa algumas pessoas para arar o terreno e plantar a semente, e outras para colher; e Ele leva ambos, tanto o que semeia como o que colhe, a se regozijarem no tempo da colheita. Essa é a maneira pela qual o Senhor sempre trabalhou. Deus deu a cada pessoa seu trabalho. Façamos nosso melhor. Se o Senhor estiver conosco, seremos prosperados.” (Ellen G. White, Conselhos aos Idosos, pág. 76)

Leia também