VOCÊ É QUEM ESCOLHE

hm

Escolha como vai começar seu dia amanhã!

Jerry é o tipo de cara que a gente adora odiar: ele está sempre de bom humor e sempre tem alguma coisa positiva para dizer. Quando alguém pergunta a ele como ele vai, ele responde: “Se estivesse melhor eu seria dois!”.

Jerry era um gerente de restaurante muito especial, pois ele tinha vários garçons que o seguiam de restaurante em restaurante. A razão pela qual os garçons o seguiam era sua atitude: ele era um motivador nato. Se um empregado estivesse passando por um dia ruim, Jerry estava lá dizendo ao empregado como ver o lado positivo da situação.

Ver este estilo realmente me deixou muito curioso, até que um dia perguntei a Jerry:

“Eu não entendo! Você não pode ser uma pessoa positiva o tempo todo. Como você faz isso?”.

Jerry respondeu:

“Cada manhã eu acordo e digo a mim mesmo: ‘Jerry, você tem duas escolhas hoje. Você pode escolher estar de bom humor ou você pode escolher estar de mau humor’. Eu escolho estar de bom humor. Cada vez que alguma coisa acontece eu posso escolher ser uma vítima ou eu posso escolher aprender daquela situação. Toda vez que alguém vem até mim reclamando, eu posso escolher aceitar sua reclamação ou eu posso destacar o lado positivo da vida. Eu escolho o lado positivo da vida.”.

“Ok, certo, só que isso não é tão fácil assim!, eu protestei.

“Sim, é!”, disse Jerry. “Na vida tudo é uma questão de escolha: você escolhe como reagir às situações; você escolhe como as pessoas afetarão o seu humor; você escolhe estar de bom humor ou de mau humor. A essência é: você escolhe como viver a vida.”

Logo após, entretanto, eu deixei a indústria de restaurantes para começar meu próprio negócio. Nós perdemos contato, mas eu sempre pensava sobre ele quando eu fazia uma escolha pela vida ao invés de reagir contra ela.

Muitos anos após, eu ouvi que Jerry fez uma coisa que nunca se deve fazer no ramo de restaurantes: ele deixou a porta dos fundos aberta uma manhã e foi assaltado à mão armada por três ladrões. Enquanto ele tentava abrir o cofre, sua mão, tremendo com o nervosismo, tirou a combinação do cofre. Os ladrões entraram em pânico e atiraram nele.

Felizmente Jerry foi encontrado, até certo ponto rapidamente, e levado às pressas para o hospital local. Após 18 horas de cirurgia e semanas de tratamento intensivo, Jerry recebeu alta do hospital e com fragmentos de bala ainda no seu corpo.

Eu vi Jerry aproximadamente seis meses após o incidente. Quando eu perguntei-lhe como ele estava, ele respondeu: “Se eu estivesse melhor eu seria dois! Quer ver minhas cicatrizes?”.

Eu recusei ver seus ferimentos, mas tive que perguntar o que passou pela cabeça dele enquanto o assalto estava em andamento. “A primeira coisa que passou pela minha cabeça foi que eu deveria ter trancado a porta dos fundos”, Jerry respondeu. “Então, enquanto eu estava deitado no chão, eu lembrei que eu tinha duas escolhas: eu poderia escolher viver ou eu poderia escolher morrer. Eu escolhi viver.”.

“Você não ficou com medo? Você perdeu a consciência?” eu perguntei.

Jerry continuou: “… os paramédicos foram ótimos. Eles ficavam me dizendo que eu ia ficar bem. Mas quando eles entraram comigo na Sala de Emergência e eu vi as expressões nos rostos dos médicos e enfermeiros, eu realmente fiquei assustado. Nos olhos deles eu lia: ‘ele é um homem morto…’. Eu sabia que precisava fazer alguma coisa.”.

“O que você fez?”, perguntei.

“Bem, tinha uma enfermeira grandona que ficava gritando um monte de perguntas pra mim”, disse Jerry. “Ela perguntou se eu era alérgico a alguma coisa. ‘Sim!’, eu respondi. Os médicos e enfermeiros pararam de trabalhar enquanto esperavam pela minha resposta. Eu tomei fôlego e gritei: ‘Balas!’. Com o sorriso deles eu disse: ‘Eu estou escolhendo viver. Operem-me como se eu estivesse vivo, não morto.”

Jerry viveu graças às habilidades dos médicos, mas também por causa de sua impressionante atitude. Eu aprendi com ele que a cada dia nós temos a escolha de viver plenamente. Atitude, acima de tudo, é o que conta .

Viva plenamente com Deus.

(Autor Desconhecido)

Leia também